Total de visualizações de página

Horario de Brasilia

PITIMBU NOTÍCIA

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Eleitores solteiros vão decidir eleições na Paraíba

Apenas 722 eleitores não informaram o estado civil no Estado

 Os solteiros vão decidir as eleições na Paraíba este ano. Levando em consideração os dados do eleitorado paraibano disponibilizados pelo Tribunal Regional Eleitoral, caberá aos solteiros decidir quem serão os representantes do Estado.

Entre os 2,8 milhões de eleitores aptos a votar em outubro, 1,79 milhão é solteiro, além de mais 120 eleitores que são viúvos , separados e divorciados. Mais de 50% dos solteiros são mulheres.

Os que se declararam casados a Justiça Eleitoral somam 914,512 eleitores. Apenas 722 eleitores não informaram o estado civil na Paraíba.






MaisPB 

Apenas 40 cidades não têm casos de dengue na Paraíba este ano

Apesar da difusão nas cidades, boletim registra redução de 59,41% dos casos da doença






Dos 223 municípios do Estado, 183 registraram casos de dengue. Apesar da abrangência da ação do inseto transmissor do vírus, os casos da doença têm diminuído na Paraíba. Apenas 40 municípios estão livres da dengue até agora.

De 1º de janeiro a 19 de julho de 2014, foram notificados 5.265 casos suspeitos de dengue na Paraíba, o que representa uma redução de 59,41% em relação ao número de notificações em igual período de 2013, quando foram registrados 12.970 casos. Do total de casos notificados este ano, 1.097 foram descartados e 1.986 confirmados por dengue. Os demais (2.117) seguem em investigação, aguardando o encerramento por parte das Secretarias Municipais de Saúde.

Os dados constam do 7º boletim epidemiológico divulgado nesta quinta-feira (31) pela Secretaria de Estado da Saúde, segundo o qual foram notificados ainda 58 casos de dengue com sinais de alarme, sendo que 25 foram confirmados e 33 seguem em investigação. Já como dengue grave foram notificados sete casos, dos quais seis confirmados e um descartado. Quanto ao número de óbitos, não houve nenhuma alteração. Permanecem as cinco mortes por dengue, sendo duas em Campina Grande; uma em Patos; outra em Cuité e uma em Cruz do Espírito Santo. No mesmo período em 2013, foram 13 óbitos confirmados pelo agravo, o que demonstra uma redução de 61,54%.

Veja os 40 municípios da Paraíba livres da dengue até agora: 

Água Branca, Aguiar, Alcantil, Amparo, Aparecida, Assunção, Bonito de Santa Fé, Caiçara, Caldas Brandão, Casserengue, Campo de Santana, Congo, Coxixola, Conceição, Cuité de Mamanguape, Curral Velho, Gado Bravo, Imaculada, Itapororoca, Junco do Seridó, Juripiranga, Lagoa de Dentro, Marcação, Mogeiro, Monte Horebe, Olivedos, Riachão do Bacamarte, Riachão do Poço, Salgadinho, Santa Inês, São Domingos do Cariri, São João do Cariri, São José do brejo do Cruz; São José dos Cordeiros, São Miguel de Taipu; São Vicente do Seridó, Serra da Raiz, Serra Grande, Serraria e Tavares.


MaisPB com Secom PB 

Primeira semana de jogos da Copa Futsal de Alhandra e Mata Redonda movimenta ginásios do município

Torcida-alhandrense-tem-lotados-os-ginasios-de-esportes-da-regiao-durante-as-partidas
A Copa Futsal de Alhandra e Mata Redonda tem movimentado os ginásios de esporte do município. As partidas acontecem sempre de terça a sábado, a partir das 20h, de forma simultânea no Ginásio de Esportes de Alhandra, O Wilsão, e no Ginásio de Mata Redonda, O Rinaldão.  Na última semana, da terça (22) a sábado (26), aconteceram várias disputas válidas pelo campeonato e muita gente compareceu aos ginásios para prestigiar as equipes participantes.
O secretário de Esportes de Alhandra, Silvio Ferreira, disse que a primeira rodada aconteceu dentro das normalidades e as equipes estão bastante empenhadas para chegar ao primeiro lugar no pódio. “As equipes estão disputando com garra e a torcida está animada, apoiando suas equipes preferidas, espero que mais gente venha prestigiar os jogos que estão acontecendo de forma tranquila e dentro das nossas expectativas”, disse o secretário.
A competição terá duração de dois meses e conta com a participação de 42 equipes, sendo 18 de Mata redonda e 24 de Alhandra, formada por atletas do município. Ela tem o objetivo classificatório para o Campeonato Municipal, que acontecerá em novembro. As equipes participantes receberam da Prefeitura de Alhandra, todo o padrão esportivo, composto por 12 conjuntos de meiões, shorts e camisas.
As três melhores equipes receberão troféus e uma premiação em dinheiro. As equipes que ficarem em primeiro lugar, receberão um prêmio no valor de R$ 1.500,00, o segundo lugar da competição receberá R$ 1.000,00 e o terceiro lugar, R$ 700,00.

Veja abaixo o resultado das partidas realizadas na última semana, válidas pela primeira rodada da Copa Alhandra de Futsal:
GRUPO A
DATAHORÁRIO1º rodada
22/jul19:00hsCHELSEA0x1UNIBOL
22/jul20:00hsESC. UNIBOL1x7RED BUL
22/jul21:00hsBOCA JR2x3BOCA DE ALCOOL

GRUPO B
DATAHORÁRIO1º rodada
23/jul19:00hsJUVENTOS3x3SÃO PAULO
23/jul21:00hsBOCA JR ESTIVAS6x3VALE VERDE
23/jul20:00hsSANTOS1x2ALHANDRA

GRUPO C
DATAHORÁRIO1º rodada
24/jul21:00hsBAHIA8x2CARCARÁ
24/jul19:00hsMILAN5x0PSG
24/jul20:00hsNOVA ALHANDRA4x4LDA

GRUPO D
DATAHORÁRIO1º rodada
26/jul19:00hsESC. UNIÃO2x10UNIÃO
26/jul20:00hsSHALKE 044x6ESPETINHO JR

Veja abaixo o resultado das partidas realizadas na última semana, válidas pela primeira rodada da Copa Mata Redonda de Futsal:

GRUPO A
DATAHORÁRIO1º rodada
18/jul20:00HSSIRIRICA13x0CRUZEIRO
22/jul18:00HSALTERNATIVO5x8TREZE
22/jul20:00HSBABY LUCK2x3BR-101

GRUPO B
DATAHORÁRIO1º rodada
22/jul21:00HSSARAYVA3x2XURUPITA
22/jul19:00HSESTRELAS4x3SARRAFO
22/jul18:00HSJUVENTOS4x1OS BRUTOS

GRUPO C
DATAHORÁRIO1º rodada
23/jul19:00HSOS GARRAS0x7OS MEDONHOS
23/jul21:00HSBARCELONA1x2FORTALEZA
23/jul20:00HSUNIÃO5x2GRÊMIO
Fonte: Secretaria de Esportes
A noite do sábado (26) foi animada com a rodada de jogos da Copa de Futsal do município Atletas durante a rodada de jogos da quarta-feira (23) Atletas durante as disputas de bola na competição Equipes se enfretaram na terça-feira (22) nas partidas válidas pela primeira rodada Rodadas de jogos continuaram na quianta-feira (24) Torcida alhandrense tem lotados os ginásios de esportes da região durante as partidas
 Alhandra em Foco

Ricardo admite decepção com Rômulo, mas trata defecção de Aracilba com indiferença


Ricardo admite decepção com Rômulo, mas trata defecção de Aracilba com indiferença
Foram respostas curtas, mas suficientes para revelar o sentimento do governador Ricardo Coutinho (PSB) com relação às últimas baixas no seu Governo, entre elas a do vice-governador Rômulo Gouveia (PSD) e também da ex-secretária Aracilba Rocha (PSL), que deixaram a gestão para aderir à candidatura do senador Cássio Cunha Lima ao Governo da Paraíba.

Apesar de tentar evitar o debate, o governador não escondeu a decepção por ter sido “traído” pelo seu vice. Indagado se o rompimento do “gordinho” tinha lhe surpreendido, Ricardo disse que sim.

“Sinceramente e melancolicamente eu digo que sim, ele me surpreendeu”, falou. O rompimento de Rômulo aconteceu um dia depois do governador Ricardo Coutinho ter classificado o colega de chapa de leal, honesto e humilde.

Já no que diz respeito a ex-secretária de finanças Aracilba Rocha o sentimento não é o mesmo, ou melhor, o único sentimento que o governador expôs com relação a adesão da ex-auxiliar ao projeto de Cássio foi o da indiferença.

Ricardo foi indagado da seguinte forma: “Governador, como o senhor viu a saída de Aracilba Rocha da base do governo, o que o senhor tem a dizer em relação a isso?”. Curto e grosso, Coutinho soltou: “Nada”.

As declarações de Ricardo foram veiculadas durante entrevista à Rádio Sanhauá AM.


Márcia Dias 

PB Agora

Santiago acompanhará Cássio em 1º debate na TV nesta 5ª


Santiago acompanhará Cássio em 1º debate na TV nesta 5ª
Wilson acompanhará Cássio Cunha Lima no primeiro Debate entre os candidatos a governador do estado promovido na televisão paraibana. O Debate será na TV Master, canal 21 da NET, nesta quinta-feira (31), as 21h, e se estenderá até a meia-noite. Esta será a primeira vez que os candidatos estarão frente a frente na TV.

Para Wilson, o Debate servirá para Cássio mostrar oficialmente o que pretende fazer quando voltar a ser governador da Paraíba. “Cássio vai explicar o que a nossa coligação pretende mudar em nosso estado. Temos um projeto diferenciado e hoje os paraibanos terão a oportunidade de conhecê-lo. Com certeza estarei lá, ao lado de Ruy Carneiro, para apoiar o nosso candidato!” confirmou Wilson.

Os candidatos poderão fazer perguntas entre si em quase todo o Debate e quem estiver fora de João Pessoa, poderá acompanhar o confronto em tempo real, através do site www.tvmaster.tv.




Redação

Após adesão de prefeito, agora são vereadores de Mataraca que anunciam apoio a Benjamin


Após adesão de prefeito, agora são vereadores de Mataraca que anunciam apoio a Benjamin
Após receber a adesão do prefeito de Mataraca, Olímpio Alencar, do PSDB, o deputado federal Benjamin Maranhão (SD) foi contemplado agora com o apoio dos vereadores da cidade na disputa pela reeleição na Câmara Federal.

Na noite desta quarta-feira (30), Benjamin esteve reunido com seis parlamentares, que confirmaram o apoio, e aproveitaram o encontro para debater projetos e emitir sugestões de propostas que beneficiem a região de Mataraca. Confirmaram o apoio os vereadores Dimas Padilha, Josildo, Aldivam, Simone, Jurandir Dantas e Paulo da Mariana.

Benjamin Maranhão comemorou o apoio e ratificou a disposição de trabalhar pela região. Ele destacou que o contato pessoal com os agentes políticos facilitam a percepção dos anseios de cada localidade e contribuem para a elaboração de propostas essenciais para o desenvolvimento da cidade.

“Como representante da população, manter esse elo com os políticos é muito importante, principalmente no desenvolvimento das nossas propostas, poder ser esse elo entre a região e o Congresso Nacional recebendo a confiança e o apoio das principais lideranças de Mataraca só aumenta a minha responsabilidade como deputado”, destacou.

Benjamin Maranhão vai disputar o seu terceiro mandato como deputado federal e segue em campanha por todo a Paraíba, recebendo adesões, disseminando seus projetos e também buscando sugestões de propostas para o Estado.

Assessoria de Imprensa 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Contas do governo têm pior resultado para o 1º semestre em 14 anos


No primeiro semestre, superávit primário somou R$ 17,23 bilhões.
Em junho, houve déficit de R$ 1,94 bilhão, pior resultado desde 1997.

Alexandro MartelloDo G1, em Brasília



As contas do governo registraram um superávit primário, que é a economia feita para pagar juros da dívida pública e tentar manter sua trajetória de queda, de R$ 17,23 bilhões no primeiro semestre deste ano. A informação foi divulgada pela Secretaria do Tesouro Nacional nesta quarta-feira (30).
É o menor resultado positivo para um primeiro semestre desde 2000 (R$ 15,43 bilhões). Isso é consequência da fraca arrecadação do governo neste ano. Houve uma queda de 50% em comparação ao mesmo período do ano passado, quando o esforço fiscal somou R$ 34,55 bilhões.
Pelas contas do Tesouro, há superávit quando o total recebido em impostos é maior que a soma das principais despesas da União.
Neste semestre, o resultado também ficou bem abaixo do recorde histórico para o período, de 2008, de R$ 61,37 bilhões.
"Foi um resultado fiscal menos dinâmico. Decorrente de receita menos forte, que tem a ver com a atividade econômica do semestre. A temperatura da economia ficou menor. Significa menos inflação. O número de feriados foi relevante. Nossa expectativa é que o segundo semestre venha a ser melhor em termos de crescimento econômico e também em termos de receita", declarou o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin.
Resultado de junho
Somente no mês de junho, as contas do governo registraram um déficit primário (quando os gastos são maiores que a arrecadação, sem a inclusão de juros) de R$ 1,94 bilhão. Este foi o pior resultado para meses de junho desde o início da série histórica do Tesouro Nacional, em 1997.
Meta fiscal de 2014
O fraco desempenho das contas públicas até junho dificulta alcançar a meta de superávit primário establecida para todo este ano.
Ao anunciar em fevereiro o corte de R$ 44 bilhões no orçamento deste ano, o ministro da Fazenda,Guido Mantega, anunciou que o objetivo fiscal de todo o setor público (governo, estados e municípios), neste ano, é de R$ 99 bilhões, o equivalente a 1,9% do PIB, o mesmo percentual registrado em 2013.
Somente para o governo, a meta foi fixada em R$ 80,8 bilhões neste ano, ou 1,55% do PIB. Até junho, portanto, o governo cumpriu 21,3% da meta anual.
Dividendos, concessões e CDE
O superávit primário recuou 50% no primeiro semestre deste ano apesar de o governo ter recebido mais dividendos (parcelas dos lucros) das empresas estatais. Nos seis primeiros meses de 2014, os dividendos pagos pelas empresas estatais ao Tesouro Nacional somaram R$ 10,49 bilhões, contra R$ 7,69 bilhões no mesmo período do ano passado. O aumento foi de R$ 2,79 bilhões neste ano.
Por outro lado, caíram as receitas de concessão e subiram os pagamentos feitos à Conta de Desenvolvimento Energético (CDE) no primeiro semestre deste ano. As concessões, que renderam R$ 2,79 bilhões nos seis primeiros meses de 2013, engrossaram os cofres públicos em R$ 1,24 bilhão neste ano. Ao mesmo tempo, foram pagos R$ 4,1 bilhões para a CDE em 2014. No mesmo período do ano passado, não foram feitos aportes na CDE.
Essa parcela de R$ 4,1 bilhões paga de janeiro a junho pelo governo faz parte de um valor total de até R$ 13 bilhões estimados com recursos orçamentários para todo este ano. Desde o final de 2012, o país vem utilizando mais energia gerada pelas termelétricas por conta do baixo nível dos reservatórios de hidrelétricas. A operação das térmicas ajuda a poupar água dessas represas, mas tem um custo maior, que normalmente seria repassado às contas de luz.
Receitas, despesas e investimentos
De acordo com dados do governo federal, as receitas totais subiram 7,2% nos seis primeiros meses deste ano, contra o mesmo período do ano passado, para R$ 601,7 bilhões. O crescimento das receitas foi de R$ 40,6 bilhões de janeiro a junho deste ano.
Ao mesmo tempo, as despesas totais cresceram 10,6% nos seis primeiros meses deste ano, para R$ 473,9 bilhões. Neste caso, a elevação foi de R$ 45,49 bilhões. Os gastos somente de custeio, por sua vez, avançaram bem mais de janeiro a junho: 16,5%, para R$ 103,4 bilhões.
Já no caso dos investimentos, os gastos somaram R$ 40,4 bilhões de janeiro a junho deste ano, informou o Tesouro Nacional, valor que representa um aumento de 21,7% frente a igual período de 2013 (R$ 33,2 bilhões).
No caso das despesas do PAC, que somaram R$ 28,8 bilhões nos seis primeiros meses de 2014, houve alta de 26,9% sobre igual período do ano passado (R$ 22,7 bilhões), informou a Secretaria do Tesouro Nacional.

Mídia nacional repercute morte de jovem que não foi atendido pelo Samu por falta de maca

Jean Carlos Lopes da Silva, 25, teria morrido por falta de atendimento médico




A morte de um jovem paraibano que faleceu após não conseguir atendimento do SAMU por suposta falta de maca foi destaque na mídia nacional. Segundo matéria da TV UOL, do Portal Uol, a unidade de socorro foi acionada, mas não chegou a tempo, porque as macas estavam retidas no Hospital de Trauma da Capital.

Confira matéria abaixo

O jovem Jean Carlos Lopes da Silva, 25, morreu por falta de atendimento médico, em João Pessoa, na Paraíba.

Os amigos e familiares ficaram revoltados já que o Samu nunca chegou ao local.

Jean chegou ao hospital de carona com uma viatura de polícia. No local, várias ambulâncias estavam paradas.

Os socorristas esperavam a liberação das macas de atendimento, que ficaram retidas no hospital. A reportagem foi exibida no SBT Brasil.

CLIQUE AQUI E VEJA O VÍDEO


Santiago manda recado subliminar para RC e diz que governantes não podem viver em conflito com os funcionários


Santiago manda recado subliminar para RC e diz que governantes não podem viver em conflito com os funcionários
 Em um recado direto para o governador Ricardo Coutinho (PSB), o ex senador Wilson Santiago (PTB) mostrou que já incorporou o discurso do tucano de bater no socialista de forma sutil e subliminar. Mesmo sem citar o nome de RC Wilson que é candidato a senador na coligação encabeçada por Cássio Cunha Lima (PSDB), Wilson Santiago disse que não é certo para nenhum governante viver em conflito com os funcionários públicos.

Em entrevista concedida a Rádio Arapuã FM, ele alegou ainda que não está interessado na geração de conflitos com os servidores públicos e garantiu que irá trabalhar valorizando e respeitando os trabalhadores. Com discurso de candidato, falou ainda sobre a importância de retomar as obras iniciadas anteriormente, dando suporte ao Governo do Estado.

- Como senador, vou ajudar a desenvolver a Paraíba e dar condições ao governador de colocar os projetos essenciais para o desenvolvimento do Estado em prática. Eu não me acho melhor do que ninguém, o que eu acho é que o Senado Federal tem uma importância muito grande para o Estado, especialmente para um estado pobre com o a Paraíba. Não podemos viver na linha do conflito, vamos dialogar com todas as classes que representam o funcionário na Paraíba – colocou.

O candidato petebista destacou que está disputando um cargo que considera importante no combate aos problemas do Estado. Santiago ressaltou que se chegar ao Senado vai investir na construção de centros de reabilitação de drogados e na recondução de pessoas.

PBAgora

RC faz ressalva sobre manutenção da aliança com PT em 2016: “Depende das circunstâncias”RC faz ressalva sobre manutenção da aliança com PT em 2016: “Depende das circunstâncias”


 RC faz ressalva sobre manutenção da aliança com PT em 2016: “Depende das circunstâncias”
Diferente da cúpula do PT, que já dá como certa a aliança com o PSB para o pleito de 2016 e até mesmo para o pleito de 2018, o governador da Paraíba, Ricardo Coutinho (PSB) evitou se comprometer publicamente e, em entrevista a uma emissora de rádio, nesta quarta-feira (30), disse que a manutenção da aliança com o grupo Cartaxo em 2012 está condicionada às circunstâncias.

pergunta foi feita da seguinte forma: Governador, o senhor estender essa aliança com o PT para 2016?

E Ricardo respondeu: “Depende das circunstâncias. Eu penso que nós estamos construindo e aprofundando um projeto para João Pessoa e para o Estado”, disse sem se estender muito sobre o assunto e sem citar quais seriam essas circunstâncias. 

PT e PSB firmaram a dobradinha para as eleições deste ano às vésperas das convenções estaduais deste ano. O PT indicou o irmão do prefeito Luciano Cartaxo, o gêmeo Lucélio Cartaxo (PT) para disputar o Senado Federal na chapa do PSB. A união entre os dois partidos rendeu ainda ao PSB uma boa base de apoio na Câmara Municipal da Capital.

Se a dobradinha vingará, só as urnas poderão responder.

A entrevista de Ricardo Coutinho foi veiculada na Rádio Sanhauá.

PB Agora

1º semestre: Governo do Estado repassa R$ 615 milhões em tributos estaduais aos municípios


 O Governo do Estado repassou aos 223 municípios paraibanos mais de R$ 615 milhões em tributos estaduais recolhidos no acumulado do primeiro semestre deste ano, volume 22,58% superior ao mesmo período do ano passado, quando o montante havia sido de R$ 501,7 milhões.

O maior volume repassado ficou com a cota parte do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação(ICMS). No período, o repasse aos cofres municipais atingiu R$ 547,1 milhões. Outros R$ 64,8 milhões vieram do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA), que representa 50% do montante arrecadado. O ICMS, tributo carro-chefe da receita estadual, representou 89% do repasse às prefeituras.

Conforme prevê a Lei Complementar nº 63 de 1990, o repasse do ICMS às prefeituras corresponde a 25% da arrecadação do tributo, distribuído mensalmente às administrações municipais com base na aplicação do Índice de Participação dos Municípios (IPM), definido para cada cidade. Já sobre o valor do IPVA, o Estado repassa ao município onde o veículo está licenciado 40% da receita arrecadada com este tributo. Outros 10% do IPVA são destinados ao Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

Além do repasse dos tributos estaduais mensais, as prefeituras recebem recursos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e de receitas próprias oriundas de tributos municipais como ISS, IPTU, ITBI e taxas.

Para o secretário de Estado da Receita, Marialvo Laureano, mesmo com a desaceleração da economia, a gestão estadual ampliou o repasse dos tributos estaduais aos municípios. “O crescimento da arrecadação dos tributos estaduais, em especial do ICMS, com alta em termos nominais de 14% no primeiro semestre, colaborou diretamente para a execução orçamentária das gestões municipais paraibanas nas políticas públicas, em especial naquelas cidades consideradas de portes médio e grande, que tiveram maior repasse do ICMS”, comentou.

De acordo com o ranking do Índice de Participação dos Municípios (IPM), o maior repasse do primeiro trimestre deste ano da cota parte do ICMS às prefeituras abrangeu as cidades de João Pessoa (29,09%), Campina Grande (14,54%), Cabedelo (8,98%), Santa Rita (3,89%), Caaporã (1,59%), Patos (1,61%), Alhandra (1,60%), Bayeux (1,50%), Cajazeiras (1,10%), Sousa (1,12%) e do Conde (1%).

Nos doze meses do ano passado, o Governo do Estado destinou aos municípios paraibanos mais de R$ 1 bilhão em repasse dos tributos estaduais recolhidos naquele exercício. O carro-chefe do montante distribuído ficou com a cota parte do Imposto sobre Operações Relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação (ICMS), quando destinou R$ 957 milhões. Outros R$ 78 milhões vieram do Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).


Secom-PB

terça-feira, 29 de julho de 2014

Conta de luz pode ter alta de até 30% em 2015, estimam consultorias

Custo da energia aumentou devido ao baixo nível dos reservatórios.
Valor do reajuste varia conforme a distribuidora.

Fábio AmatoDo G1, em Brasília

Distribuidoras de energia tiveram custos extras neste ano para conseguir atender aos consumidores (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)Distribuidoras de energia tiveram custos extras neste ano para conseguir atender aos consumidores (Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil)
As contas de luz podem ficar até 30% mais caras, em média, no próximo ano. A estimativa foi feita por consultorias e representantes do setor elétrico a pedido do G1: entre quatro consultados, as estimativas variaram de 20% a 30% de reajuste em 2015. A alta deve ocorrer dois anos após as medidas do governo para reduzir em cerca de 20% a fatura.
“A gente não escapa de um aumento médio de 30% no ano que vem. Para os clientes de algumas distribuidoras, pode ser mais. Para os de outras, menos”, afirma Walfrido Avila, presidente da comercializadora independente de energia Trade Energy.
Plano de socorro a distribuidoras de energia - até julho de 2014 (VALE ESTE) (Foto: G1)
A sócia-diretora da consultoria PSR, especializada em energia elétrica e gás, Priscila Lino, estima alta semelhante, de 28%, em média, em 2015.
O aumento é superior ao de reajustes autorizados neste ano pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para a tarifa de algumas distribuidoras, entre elas a Celpe(17,75%), a Eletropaulo (18,66%) e a Copel(24,86%), e que já haviam chamado a atenção por serem elevados.
A alta, no entanto, não é a mesma para todos os consumidores – ela varia entre as distribuidoras. E vai depender de uma série de fatores – alguns poucos previsíveis –, como a quantidade de chuvas nos próximos meses (para recuperar os reservatórios das usinas), além dos gastos passados das distribuidoras com a compra de energia térmica e no mercado à vista, investimentos e ganho de produtividade.
Origem da alta
A falta de chuvas é uma das principais responsáveis pela elevação da tarifa esperada a partir do ano que vem. Por causa da redução dos níveis dos reservatórios das hidrelétricas, as distribuidoras tiveram de comprar energia das usinas térmicas, que é mais cara porque elas são movidas a combustíveis, como óleo, gás e biomassa.
Em geral, as distribuidoras compram energia das hidrelétricas em leilões mediados pelo governo. As empresas que não conseguiram neles toda a energia que precisavam tiveram de recorrer ao mercado à vista, no qual a venda é feita diretamente pelas geradoras, e o preço chegou a patamar recorde.
Segundo as regras do setor, tanto o custo extra com as térmicas quanto com a compra de energia no mercado à vista deveriam ser pagos pelas distribuidoras nesse primeiro momento. Depois, elas seriam compensadas por meio de reajustes que acontecem todos os anos. Mas as empresas alegaram não ter recursos suficientes, e o governo lançou um plano de socorro.
Ele se comprometeu a colocar R$ 13 bilhões no setor elétrico neste ano com recursos orçamentários, e já admite que o total de empréstimos bancários às empresas pode chegar a R$ 17,7 bilhões. Este valor para socorrer as distribuidoras será repassado às contas de luz de todos os brasileiros a partir de 2015.
Contas
A estimativa de reajuste em 2015 de Priscila Lino, da PSR, considera inflação de 6% no período e o início da transferência, para os consumidores, dos empréstimos bancários.

De acordo com ela, também entraram na conta a previsão de aumento de custos com nova compra de energia pelas distribuidoras (para substituir contratos que vencem neste ano), o pagamento de encargos do serviço de transmissão de energia, além do aumento esperado na participação dos consumidores no financiamento da CDE, fundo do governo que banca ações no setor elétrico.
Os 28% de aumento consideram ainda uma medida que ajuda a puxar o reajuste médio para baixo: a transferência que o governo fará para as distribuidoras, em forma de cotas, da energia de hidrelétricas cujas concessões vencem em 2015. Serão cerca de 5 mil megawatts (MW) que poderão ser fornecidos a preços bem menores.
Planejamento
Avila, da Trade Energy, estima que já chegam a R$ 64 bilhões os custos extras no setor elétrico, resultado da crise provocada pela queda no nível dos reservatórios das hidrelétricas desde o final de 2012. Se todo esse valor fosse repassado no ano que vem, o reajuste poderia ser maior. Mas a fatura deve ser dividida pelos próximos 4 anos.

Para ele, o governo vem gerenciando bem o problema no setor, já que o Brasil só não enfrentou um racionamento, como em 2001, porque o parque nacional de termelétricas hoje é muito maior e consegue suprir boa parte da energia que as hidrelétricas deixam de produzir quando chove pouco.
Segundo ele, porém, é preciso planejar melhor o setor. “Precisamos garantir combustível mais barato para as nossas termelétricas. Se isso já tivesse sido feito, essa conta que vamos ter que pagar não seria tão alta”, diz.
Energia gerada nas usinas térmicas é mais cara (Foto: Reprodução/Jornal Nacional)Energia gerada nas usinas térmicas é mais cara (Foto: Reprodução/Jornal Nacional)


Avila ressalta que esse planejamento será ainda mais importante nos próximos anos, pois o modelo energético brasileiro prevê a dependência cada vez maior de usinas termelétricas. Isso se deve à decisão do governo de evitar a construção de hidrelétricas com grandes reservatórios, que provocam enorme impacto ambiental. Sem represas, porém, essas usinas não têm como armazenar energia na forma de água e não produzem nos períodos secos.
Alta poderia ser maior
Nas contas do Instituto Acende Brasil, que estuda o setor elétrico, a ação do governo para diluir e adiar o repasse aos consumidores dos custos extras do setor elétrico evitou que as contas de luz subissem 43% já neste ano.
“[A estimativa de 43% para reajuste em 2014] é um número chocante que justifica esse empenho do governo em diluir a conta pelos próximos anos”, diz o presidente do instituto, Claudio Sales. De acordo com ele, a alta média na tarifa de energia neste ano deve ser de 15%. Algumas distribuidoras, porém, tiveram aumentos maiores autorizados pela Aneel.

O Acende Brasil calcula que apenas o repasse do empréstimo bancário para socorrer as distribuidoras, que pode atingir R$ 17,7 bilhões, e da ajuda de R$ 10,6 bilhões dada pelo governo em 2013, via Tesouro, devem gerar um impacto, em média, de 11% nas contas de luz, diluídos ao longo dos próximos 3 anos.

Esse impacto, porém, sobe para 15%, também dividido em 3 anos, caso o governo não consiga repassar às distribuidoras os 5 mil MW de energia mais barata das hidrelétricas cujas concessões estão vencendo. Além de atrasos no processo, há expectativa de que pelo menos algumas das empresas recorram para ter a concessão renovada.
Incertezas
Analista do setor de energia na consultoria Tendências, Walter De Vitto aponta para aumentos médios de 20% nas contas de luz em 2015, variando até 25%. Ele afirma que há várias incertezas hoje no setor que dificultam uma previsão mais certeira para os reajustes.
Entre elas está a variação do dólar, que afeta parte do preço da energia consumida no país. Também não há como prever como serão as chuvas no próximo verão, que podem ou não recuperar o armazenamento de água nos principais reservatórios do país e vão ser decisivas para definir como as usinas termelétricas serão usadas ao longo de 2015.
Resposta do governo
G1 procurou o Ministério de Minas e Energia que informou, por meio de sua assessoria, que “desconhece os estudos e não sabe quais premissas foram utilizadas” para se chegar às estimativas de alta na conta de luz. Informou ainda que “quem pode falar sobre tarifa é a Aneel”.
Procurada pelo G1, a Aneel afirmou que, diante da quantidade de variáveis presentes nos processos tarifários (reajustes e revisões), é prematuro fazer projeções de valores para 2015. E ressalta que, como cada distribuidora tem suas datas de movimentação tarifária vinculadas à assinatura do seu contrato de concessão, os próximos repasses acontecerão segundo o calendário disponível na página da agência (veja aqui) e por meio de aplicação da metodologia e das condições vigentes nessas datas.
Nesta terça-feira (29), no entanto, o diretor-geral da Aneel, Romeu Rufino, disse que o novo empréstimo às distribuidoras deve impactar as contas de luz em oito pontos percentuais a partir do próximo ano. Não se sabe, no entanto, qual será o valor final dos reajustes, devido às muitas outras variáveis que fazem parte do processo de cálculo
.

Site nacional publica resposta de Cássio sobre denúncia: “Farsa montada pelo ex-auxiliar de RC”


Site nacional publica resposta de Cássio sobre denúncia: “Farsa montada pelo ex-auxiliar de RC”
Após ter publicado a denúncia feita pelo PSB contra a coligação tucana na Paraíba, o portal Brasil 247 agora publica, em mesma proporção, a resposta do senador Cássio, que alerta que a denúncia foi montada e se trata de uma farsa.

VEJA NA ÍNTEGRA



 CUNHA LIMA CHAMA DE "FARSA" ACUSAÇÃO DE COMPRA DE APOIO

candidato ao governo da Paraíba pelo PSDB, senador Cássio Cunha Lima, rebateu as acusações de compra de apoio político de prefeitos pelo interior do estado (leia mais aqui). Em nota, o tucano chama de "farsa" a gravação feita pelo jornalista Sales Dantas, que ele afirma se fazer passar por um servidor de seu gabinete e lembra ser "ex-secretário e eleitor de Ricardo Coutinho", governador e candidato à reeleição pelo Pros.

"É absolutamente estranho que a única prova da suposta compra de prefeitos seja a farsa montada por um ex-secretário de Ricardo Coutinho. Ele se faz passar por um assessor de Cássio, mas nem assim consegue qualquer incriminação do senador", diz o texto divulgado pela coligação A Vontade do Povo, de Cunha Lima. Ele ressalta que "em momento algum" o áudio, que supostamente o incriminaria, foi apresentado à imprensa.

O candidato diz ainda que o episódio deixa clara a "intolerância à crítica e a qualquer discordância" por parte de Coutinho. "Na ótica autoritária e presunçosa do governador, os prefeitos que não o seguem estão sendo comprados", diz. "O que dizer, então, da maioria esmagadora dos paraibanos, que, segundo repetidas pesquisas de opinião pública, tem revelado uma clara rejeição à reeleição do atual governador? Quem terá comprado mais de um milhão de eleitores?", questiona o tucano, que lamenta o que chama de "leviandade de acusações absurdamente inconsistentes e inverídicas".

Leia abaixo a íntegra da nota:

COLIGAÇÃO A VONTADE DO POVO

(PRB - PP - PTB - PSC - PR - PPS - PSDC - PTN - PMN - PSDB - PEN - PSD - PT do B - SDD)

A FARSA DA COMPRA DO PREFEITO

NOTA OFICIAL

A coligação do governador do Estado convocou uma entrevista coletiva nesta quinta-feira para confessar à Paraíba a farsa em que o agente político Sales Dantas, ex-secretário e eleitor de Ricardo Coutinho, se faz passar por um servidor do gabinete do senador Cássio Cunha Lima para comprar o apoio de prefeitos do interior. No alegado áudio, que em momento algum foi apresentado à imprensa, não há, segundo os próprios acusadores, nenhuma fala do senador Cássio nem de qualquer assessor seu, mas apenas a encenação grotesca montada por Sales Dantas, cujo passado e prática os paraibanos já conhecem à exaustão. Em respeito à Paraíba e à verdade, a Coligação A Vontade do Povo divide com os paraibanos as seguintes reflexões e decisões:

- É absolutamente estranho que a única prova da suposta compra de prefeitos seja a farsa montada por um ex-secretário de Ricardo Coutinho. Ele se faz passar por um assessor de Cássio, mas nem assim consegue qualquer incriminação do senador.

- Mais estranho ainda, é a postura de determinados setores que, sem qualquer base, sem apoio nem mesmo na versão governamental da suposta gravação, acusam o senador Cássio de tentar cooptar e comprar prefeitos. A argumentação apresentada é ainda mais grotesca: "Esse prefeito aderiu a Cássio sem ter feito nenhuma crítica administrativa ao governo".

- A postura do governador, nesse episódio, apenas repete uma rotina de desrespeito às pessoas, de intolerância à crítica e a qualquer discordância. Na ótica autoritária e presunçosa do governador, os prefeitos que não o seguem estão sendo comprados. O que dizer, então, da maioria esmagadora dos paraibanos, que, segundo repetidas pesquisas de opinião pública, tem revelado uma clara rejeição à reeleição do atual governador? Quem terá comprado mais de um milhão de eleitores?

- Quase todos os sindicatos ligados ao funcionalismo estadual, quase todo o movimento social são hoje críticos ferrenhos do governador do Estado. Quem os terá comprado?

- Grande parte dos amigos e colaboradores de primeira hora do governador são hoje adversários dele. Quem os terá comprado?

- Em seu isolamento político, o governador não percebe que a opção eleitoral registrada nas pesquisas é fruto da repulsa ao autoritarismo, à perseguição aos servidores, à recusa ao diálogo, ao clima de conflito permanente e crescente instaurado no Estado. Os paraibanos não estão à venda. Em sua altivez, a Paraíba sempre soube repelir ameaças implícitas, intimidações explícitas e o terror político e administrativo, parta de onde partir.

Diante do absurdo das acusações e insinuações dos empregados do governador do Estado, a coligação A Vontade do Povo apela, por todos os meios, ao Ministério Público Eleitoral, à Justiça Eleitoral e à Polícia Federal para que apurem, em toda a sua extensão e profundidade, o processo eleitoral da Paraíba, cuja absoluta transparência e lisura defendemos e exigimos.

Episódios como esse, infelizmente, já são conhecidos na Paraíba. Às vésperas da eleição municipal de 2008, o então candidato a prefeito de João Pessoa, Francisco Barreto, concorrente de Ricardo Coutinho ao mesmo posto, foi acusado de receber dinheiro de Cícero Lucena para atacar o prefeito de então. A inverdade foi espalhada, coincidentemente, pelo mesmo notório Sales Dantas. Dois anos depois, a Justiça condenou todos os autores da infâmia.

A Coligação A Vontade do Povo lamenta a leviandade de acusações absurdamente inconsistentes e inverídicas, que só a subserviência de alguns e a irresponsabilidade de outros permitem ecoar com ares de veracidade, mesmo subvertendo por completo a compreensão de que, quando há cooptação de lideranças políticas, elas partem dos governos, jamais das oposições. A Coligação A Vontade do Povo entende, por fim, que essa farsa montada diante da Paraíba é uma confissão explícita de desespero político: eles tentam intimidar dezenas de outras adesões e abrir caminhos para decidir no tapetão uma eleição que a cada dia lhes parece mais difícil, remota e inalcançável. A Paraíba já decidiu que, dessa vez, para governar o Estado, será preciso ter voto.




PB Agora

POLARIZAÇÃO: Câmara de importante cidade do Sertão está divida entre apoio a Cássio e RC; Vital não tem defensor


POLARIZAÇÃO: Câmara de importante cidade do Sertão está divida entre apoio a Cássio e RC; Vital não tem defensor
O quadro político na Paraíba, do ponto de vista das coligações e das próprias candidaturas, ainda está indefinido, pois vários questionamentos estão pendentes de decisão do TRE, a exemplo da coligação envolvendo o PT e a própria legalidade da candidatura de Cássio Cunha Lima (PSDB), a disputa na cidade de Cajazeiras no Sertão paraibano está polarizada entre os candidatos Ricardo Coutinho (PSB) que tem o apoio da prefeita Denise (PSB) e o projeto tucano capitaneado por Cássio que tem ao seu lado os deputados José Aldemir (PEN) e Vituriano de Abreu (PSC).Segundo levantamento feito pelo jornalista Adjamilton Pereira, os vereadores com assento na Câmara Municipal de Cajazeiras já não têm mais dúvidas com relação aos seus posicionamentos e estão literalmente divididos entre as duas candidaturas favoritas.


Quando a candidatura de Veneziano Vital do Rêgo ainda estava validada, alguns vereadores, como Jucinério Félix e Neto da Vila Nova, estavam com ele e outros parlamentares não tinham se definido. Agora, com o inicio da campanha, e o aperto dado pelos candidatos a deputado estadual e federal, que precisam mostrar força junto ao candidato majoritário e o chamamento feito por Carlos Antonio e Denise Oliveira nas reuniões realizadas com os correligionários, os vereadores tiveram que se decidir.Neste quadro, o candidato do PMDB, Vital do Rêgo Filho, não contará com apoio de nenhum dos 15 vereadores de Cajazeiras, o que significa dizer que o ex-prefeito Carlos Rafael, que é candidato a deputado estadual e que na última eleição elegeu uma bancada de sete vereadores, não conseguiu manter nenhum dos antigos aliados ao seu lado.


O trabalho do deputado Vituriano de Abreu que anunciou dobradinha com o ex-ministro Aguinaldo Ribeiro (PP) na luta pela Câmara Federal, reforçado pelos pedidos do deputado federal Wellington Roberto, confirmaram o apoio de cinco vereadores a candidatura de Cássio Cunha Lima – Neto da Vila Nova, Jucinério Félix, Humberto Pessoa, Marcos do Riacho do Meio e Neguim do Mondrian, que se somam ao vereador Ivanildo Dunga, candidato a deputado federal e que apóia Cássio e ao vereador Eriberto Maciel, que diverge da orientação de Carlos Antonio e Denise e está com Cássio, inclusive esteve no evento em Campina Grande. Dos vereadores que apóiam Vituriano, Lindberg Lira e Kléber Lima estão acompanhando Ricardo Coutinho, para atender o comando do ex-prefeito Carlos Antonio, mas estão sendo pressionados por Wilson Santiago, já que são filiados ao seu partido, para que mudem de posição.


Os demais vereadores, que fazem parte da bancada da situação na Câmara Municipal, acompanham a orientação da prefeita Denise Oliveira e do ex-prefeito Carlos Antonio e estão apoiando o projeto de reeleição do governador Ricardo Coutinho e, votam, para deputado estadual, em Zé Aldemir, com exceção do vereador Alysson Américo, que é aliado incondicional do deputado Jeová Campos (PSB).


PB Agora