Total de visualizações de página

Horario de Brasilia

PITIMBU NOTÍCIA

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

JUIZ DA LEI : Juiz manda ex-prefeito para a cadeia com direito só a banho de sol



Zé de Boi Velho, o homem da foto, ex-prefeito de Aparecida, quís dar uma de esperto e se lascou. Condenado a cumprir pena no semi aberto, aquele no qual o sujeito passa o dia trabalhando e dorme na cadeia, começou a faltar e a apresentar atestado médico. O juiz Zé Normando não caiu na lábia do ex-prefeito e determinou que ele cumpra o resto da pena em regime fechado, tendo direito apenas ao banho de sol e as visitas íntimas. Zé de Boi Velho foi condenado por malversação dos dinheiros públicos.

Tião Lucena

RECEITA DA SEMANA "Pizza de Liquidificador"



ingredientes

Para a massa

  • 1 1/2 xícara (chá) de leite morno
  • 1 ovo
  • 1 tablete de fermento para pão esfarelado
  • 1 colher (sobremesa) de açúcar
  • 1 colher (chá) de sal
  • 1/2 xícara (chá) de óleo
  • 2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo

Para a montagem

  • Massa da pizza
  • 1 maço de escarola cortado em tiras e refogado
  • 2 tomates cortados em rodelas e temperados com orégano, sal e azeite
  • 3 cebolas grandes cortadas em rodelas, aferventadas e escorridas
  • Orégano a gosto

modo de preparo

Para a massa

No copo de liquidificador, coloque 1 1/2 xícara (chá) de leite morno, 1 ovo, 1 tablete de fermento para pão esfarelado, 1 colher (sobremesa) de açúcar, 1 colher (chá) de sal e 1/2 xícara (chá) de óleo. Bata.
Desligue o liquidificador e acrescente, aos poucos, 2 1/2 xícaras (chá) de farinha de trigo, batendo sempre que for acrescentada.
Coloque numa assadeira redonda para pizza (não precisa untar) e deixe descansar por 15 min.

Para a montagem

Espalhe sobre a massa 1 maço de escarola cortado em tiras e refogado, rodelas de 2 tomates temperadas a gosto com orégano, sal e azeite, 3 cebolas grandes cortadas em rodelas, aferventadas e escorridas. Salpique orégano a gosto.
Leve ao forno a 180ºC por 20 min.

Caldas Brandão, PB, lança edital de concurso público para 181 vagas


Inscrições podem ser feitas em outubro no distrito do Cajá ou pela internet.
Salários variam de R$ 545 a R$ 7 mil.

Do G1 PB
O município de Caldas Brandão, localizado no Agreste paraibano a cerca de 60km da capital João Pessoa, lançou edital de concurso público com 181 oportunidades de trabalho, entre efetivas e cadastro de reserva. Há vagas para funções de todos os níveis de escolaridade, desde o fundamental incompleto até o superior. Os salários variam de R$ 545 a R$ 7 mil.
As inscrições custam R$ 39,50 para candidatos que tenham estudado até o ensino fundamental, R$ 60,50 para candidatos com nível médio completo e R$ 77 para cargos de nível superior.
São oferecidas vagas para as seguintes funções: agente administrativo, agente comunitário de saúde, agente de combate as endemias, agente de vigilância sanitária, assistente jurídico, assistente social, auxiliar de saúde bucal, auxiliar de serviços gerais, coveiro, digitador, eletricista, enfermeiro, farmacêutico, bioquímico, fiscal de tributos, fisioterapeuta, gari, médico, motorista, nutricionista, odontólogo, orientador educacional, procurador municipal, psicólogo, supervisor educacional, técnico agrícola, técnico em Enfermagem, vigilante e professor.
As inscrições do concurso serão disponibilizadas a partir às 9h do dia 10 de outubro no site da empresa organizadora, a Metta Concursos & Consultoria (www.mettaconcursos.com.br) até as 23h59 do dia 11 de novembro.
Os interessados também poderão se cadastrar pessoalmente de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 12h, em dois locais: na Escola Municipal de Ensino Fundamental Maria Viegas, no Centro da cidade, e na Secretaria Municipal de Educação, localizada na Rua José Alípio de Santana, no distrito do Cajá, no anexo do prédio da Prefeitura Municipal.
 

Justiça da Paraíba manda demitir servidores temporários de 9 cidades


Tribunal de Justiça dá 180 dias para afastamento em 33 prefeituras. 
Justiça entende que contratações sem concursos são inconstitucionais.

Do G1 PB
Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba julga leis municipais (Foto: Divulgação/TJPB)Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba julga leis
municipais (Foto: Divulgação/TJPB)
Mais nove cidades paraibanas entraram na lista das Prefeituras que deverão demitir, no prazo de 180 dias, funcionários contratados sem concurso público. A determinação foi dada pelo Pleno do Tribunal de Justiça da Paraíba em sessão de julgamento na quarta-feira (28). Os desembargadores entenderam como inconstitucionais as leis municipais que permitem as contratações temporárias sem realização de concurso e sem justificar interesse público excepcional.
Em uma semana, já são 33 cidades na mesma situação. Elas são alvos de uma série de Ações Diretas de Inconstitucionalidade (Adins) ajuízadas pelo Ministério Público da Paraíba, que pede o desligamento de funcionários não concursados, com base em exigências da Constituição Federal.
Em um dos casos em análise, o desembargador Fred Coutinho verificou que um dos artigos em análise contemplava a possibilidade de prorrogação infinita dos contratos, ferindo o princípio constitucional da temporariedade. “A previsão de tempo de contratação irrazoavelmente alongada atende, na verdade, ao nítido propósito de burlar a regra de concurso público, em vez de regulamentar-lhe legítima exceção”, considerou.
Foram julgadas na quarta-feira as leis municipais de Puxinanã, Malta, Igaracy, Congo, Riachão, Cabaceiras, Caiçara, Bonito de Santa Fé e Sertãozinho. Além delas, estão na mesma situação Gado Bravo, Teixeira, Zabelê, Itapororoca, Marcação, Lucena, São José do Sabugi, Gurjão, Montadas, Riacho dos Cavalos, Sousa, Santa Cruz, Desterro, Alagoa Nova, Gurinhém, Marizópolis, Junco do Seridó, Pilar, Mari, Solânea, Itatuba, São Bentinho, Paulista e Cabedelo.

Segundo pesquisa: Paraíba tem quase 30 mil crianças e adolescentes viciados em crack


Segundo pesquisa: Paraíba tem quase 30 mil crianças e adolescentes viciados em crack

Da Redação com Jornal da Paraíba
O Jornal da Paraíba desta sexta-feira, 30, traz uma reportagem falando sobre a quantidade de pessoas viciadas em crack na Paraíba. De acordo com a matéria de capa, 35 mil paraibanos são dependentes de crack, e desses, 62% são crianças e adolescentes.
Os dados publicados no jornal fazem parte de uma pesquisa realizada pelo Centro Brasileiro de Informações sobre Drogas (Cebrid). Segundo o estudo, quase nove mil usuários paraibanos (8,7 mil) tem entre 10 e 14 anos de idade.
As informações do Cebrid estão sendo usadas para a realização de um mapeamento do consumo de drogas do Estado, para que, depois, seja feito um planejamento de combate  e prevenção ao crack. Ainda segundo o Cebrid, 60% desses usuários vivem em João Pessoa e Campina Grande.
O Plano Estadual de Enfrentamento ao Crack, elaborado pelo governo estadual, só deve começar em 2012. A Secretária de Desenvolvimento Humano, Cida Ramos, disse ao JP que "o Plano vai atuar em três frentes: na repressão qualificada, na formação de uam rede de assistência, tratamento e acompanhamento e também com ações de prevenção".

Sine da Paraíba tem vagas urgentes para pessoas com deficiências



Do G1 PB

Há oportunidades para candidatos em níveis fundamental e médio.
Também são oferecidas 267 vagas para concorrência geral.

O Sistema Nacional de Emprego na Paraíba (Sine-PB) divulgou nesta quinta-feira (29) uma relação de vagas de trabalho para preenchimento urgente, voltadas para pessoas com deficiências. As oportunidades são para profissionais que tenham estudado até os níveis fundamental e médio.
Entre os cargos de ensino médio, são oferecidas vagas para operador de caixa e recepcionista. Já para quem tem nível fundamental, há chances nas funções de oficial de serviços gerais e auxiliar de linha de produção.
Além destas oportunidades, o Sine ainda tem uma lista contendo 267 vagas gerais. A maioria delas, 65, é direcionada para interessados em trabalhar como vendedores pracistas; Ainda há 30 vagas para atendente de balcão de café e 10 para costureira de máquina industrial. Para profissionais com nível superior, há duas oportunidades para farmacêutico.
A lista completa de vagas abertas pode ser consultada na sede do Sine Estadual, que fica na Rua Almeida Barreto, número 520, no Centro de João Pessoa, por trás do Mercado Central. Os interessados em preencher as vagas devem apresentar os documentos de identidade, CPF e carteira de trabalho

Após virar garçonete, Gretchen reclama de preconceito


Após virar garçonete, Gretchen reclama de preconceito
Gretchen, que confirmou estar trabalhando como garçonete em um café nos Estados Unidos, se revoltou com as críticas geradas pela nova profissão, e publicou mensagens de tom agressivo no Twitter nesta quinta-feira (29).

"Vocês são ridículos. Quanto preconceito. Tenho mesmo que acreditar que continuo no sucesso", escreveu a ex-dançarina. "Tenho que repetir de novo (sic). Pague minhas contas, quite minhas dívidas e ganhe o direito de falar da minha vida", continuou a morena.

Em resposta a um seguidor, Gretchen defendeu a profissão. "Qual é o preconceito? Aqui na América e no Brasil é um emprego como qualquer um", afirmou.

A rainha do rebolado recebeu o apoio de amigos, como a cantora Simony e David Brazil. "Sem ninguém pra te bancar e mudar. São poucas as mulheres que tem essa coragem esse peito e esse M mulher que a Gretchen tem. Engraçado, tanta gente se encosta em homem rico, vamos dizer assim 'P' de luxo, e ninguém fala nada", disparou Simony.


TERRA

quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Mais Um! Promotoria ingressa com ação de improbidade administrativa contra ex-prefeita de Caaporã Jeane Nazário


A Promotoria do Patrimônio Público de Caaporã ingressou com uma ação de improbidade administrativa contra a ex-prefeita de Caaporã Jeane Nazário dos Santos, a Empresa Armando Rodrigues de Oliveira e contra o próprio Armando Rodrigues.
A ex-prefeita teria dispensado a realização de uma licitação, alegando inexigibilidade, e contratado a “1001 ideias – Promoções de Eventos” por R$ 298 mil, para a produção e apresentação de 15 bandas, para as festividades juninas de 2005.
 
Documentos encaminhados pelo Tribunal de Contas do Estado apontaram irregularidades na inexigibilidade de licitação. De acordo com os dados fornecidos pelo Sagres (Sistema de Acompanhamento da Gestão dos Recursos da Sociedade), a nota de empenho foi emitida em favor de Armando Rodrigues de Oliveira no dia 04 de maio de 2005, data anterior a assinatura do contrato, que foi no dia 05 de maio.
 
A promotora de Justiça Cassiana Mendes de Sá explicou que, para caracterizar  inexigibilidade, é imprescindível que o artista seja consagrado pela crítica especializada ou pela opinião pública e que o pagamento seja realizado diretamente ao profissional ou através de seu empresário exclusivo.
“Observa-se que os promovidos não demonstraram a presença de qualquer desses requisitos exigidos pela Lei de Licitações, produzindo ato administrativo eivado de nulidade”, disse.
 
Segundo a promotora,  os membros da Comissão de Licitação e a então gestora municipal, com total descaso pela coisa pública e em flagrante violação ao princípio da economicidade, deixaram de realizar pesquisa prévia de preços, celebrando contrato na quantia de R$ 298 mil.
“Não é concebível que o chefe da edilidade, quando da contratação direta, fique inerte com relação à pesquisa de mercado, omitindo-se de justiçar o preço avençado, notadamente quando se sabe da existência de inúmeras outras bandas musicais pela região; porquanto, ao direcionar os gastos do dinheiro público, deve primar pelo interesse público”, declarou.
 
Cassiana Mendes ressaltou que a ex-prefeita Jeane Nazário liberou verba no montante de mais de R$ 900 mil, no exercício de 2005, para contratação de serviços artísticos, sendo mais R$ 817 mil somente para a empresa de Armando Rodrigues, enquanto para merenda escolar foi destinada menos da metade da quantia referida, cerca de R$ 414 mil.
“Ora, é indispensável que o comportamento do gestor se alie ao princípio da razoabilidade, de modo que suas escolhas estejam diretamente ligadas as necessidades da coletividade. A discricionariedade não o autoriza a fazer o que bem entender com o dinheiro público”, comentou. 
 
Outro ponto destacado pela promotora foi a comparação da quantia destinada aos festejos juninos de Caaporã e de Campina Grande, em 2005. Enquanto para conhecido “Maior São João do Mundo” foram destinados R$ 235 mil, para o São de Caaoporã, foram R$ 298 mil, uma diferença de R$ 63 mil.
“Frise-se, ainda, que a população do Município de Campina Grande é quase 19 vezes a do Município de Caaporã. Sob esta perspectiva, flagrante o uso irracional do dinheiro público e o desrespeito ao povo caaporense, sendo imperativa a responsabilidade dos envolvidos”, afirmou. 
 
“Registre-se a reincidência da conduta ímproba, já que, no período do carnaval de 2005, o Município de Caaporã, através da prefeita Jeane Nazário, também havia firmado contrato direto com a empresa Armando Rodrigues de Oliveira, para prestação de shows artísticos, após indevida inexigibilidade de licitação, tendo inclusive sido empenhada nota de emprenho no valor de R$ 142.720,00 (cento e quarenta e dois mil, setecentos e vinte reais) em favor do beneficiário em data anterior à abertura do certame licitatório”, informou a promotora.   
 
As bandas contratadas pela empresa foram Matruz com Leite, Gata Bronzeada, Companhia do Calypso, Amazan, Raça Negra, Mel de Paixão, Rita de Cássia, Terríveis, Luciene Melo, Cicinho Lima, Balança Nenen, Megalope, Tom Oliveira, Brilho da Paixão e Aviões do Forró.
Punições
 
A ação pede que a ex-prefeita e Armando Rodrigues sejam condenados nas sanções do artigo 12, incisos II e III, da Lei n. 8.429/92, correspondentes ao ressarcimento integral pelo prejuízo causado ao erário, em favor do patrimônio público municipal, cujo valor deverá ser apurado em liquidação de sentença; perda da função pública; suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos; pagamento de multa civil de até  duas vezes o valor do dano; proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo prazo de cinco anos; e, por fim, aplicação de multa civil aos réus de cem vezes o valor da remuneração percebida pelo Prefeito Constitucional.
 
Contra a empresa contratada, a ação pede ressarcimento integral pelo prejuízo causado ao erário, em favor do patrimônio público municipal, cujo valor deverá ser apurado em liquidação de sentença; pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano; proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios.

 
 Luiz Cláudio com Ascom

Aquele Beijo: Nova novela da Globo grava suas primeiras cenas na Paraíba


Trama de Miguel Falabella tem estreia prevista para outubro

 As gravações da novela Aquele Beijo em Cabaceiras, no Cariri paraibano. A próxima atração das 19h da Rede Globo usa o Lajedo de Pai Mateus como cenário. Em seguida, a equipe de produção e os atores seguem para João Pessoa. O folhetim é escrito por Miguel Falabella. A estreia está prevista para outubro.
Aquele Beijo na Paraíba (Foto: Cláudio Goes/Secom-PB)Gravação da novela Aquele Beijo em Cabaceiras, no Cariri paraibano (Foto: Cláudio Goes/Secom-PB)
 Estão em Cabaceiras os atores Bia Nunes, Diogo Vilela e a paraibana Marcélia Cartaxo. Aquele Beijo conta com a participação de moradores da região, que atuam como figurantes. Os habitantes, aliás, já estão acostumados com a movimentação de equipes de filmagem na região. Uma das produções mais conhecidas que foi gravada em Cabaceiras é a série de TV O Auto da Compadecida, baseada na obra de Ariano Suassuna.
As gravações na Paraíba são acompanhadas pela Empresa Paraibana de Turismo (PBTur). A passagem da equipe da Rede Globo pela Paraíba é resultado de uma parceria com o governo estadual e a prefeitura de João Pessoa, que oferecem apoio logístico à produção.