Total de visualizações de página

Horario de Brasilia

PITIMBU NOTÍCIA

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

Maranhão mira em território proibido e pode ser alvo de intervenção


 Maranhão mira em território proibido e pode ser alvo de intervenção
Zé Maranhão mira em território proibido, provoca reação na base e pode ser alvo de intervenção 

Após se desprender da pretensão de disputar o Governo da Paraíba nas eleições de 2014, o ex-governador José Maranhão (PMDB) está mesmo engajado em pavimentar as bases eleitorais para emplacar um mandato parlamentar. Além de disputar os mesmos votos do sobrinho, Benjamim Maranhão, o ex-governador paraibano parece que também está se infiltrando nas bases de outros correligionários do PMDB. Durante o final de semana o mestre de obras visitou vários município do brejo paraibano e deixou a orelha de muitos aliados em pé.

A ‘invasão’ de Maranhão no território alheio já teria provocado alguns conflitos na base peemedebistas. Nos bastidores a informação é de que até mesmo o ex-prefeito Veneziano, que é o pré-candidato do partido, tem sido provocado para tentar conter o impulso do ‘mestre de obras’, caso contrário, os filiados deverão repassar o problema para o vice-presidente da República, Michel Temer tomar as providências cabíveis, inclusive com a possibilidade de intervenção no PMDB paraibano.

Conforme informações repassadas ao PB Agora, Maranhão só resolveu visitar as bases alheias porque recentemente foi alvo de uma baixa, provocada por uma parlamentar da base. É que a deputada Nilda Gondim teria conquistado o apoio do prefeito de Cacimba de Dentro, município este situado no Curimataú paraibano e tido como um ‘curral’ da família Maranhão.

O município de Cacimba de Dentro é também tido como um quintal de Araruna (principal base da família Maranhão) e têm pouco mais de 12 mil eleitores. A cidade era sempre contabilizada como o ‘curral’ a ser consumado pelo grupo Maranhão e já foi inclusive governada pela deputada estadual Olenka Maranhão (PMDB), eleita prefeita da cidade por um mandato.

De 2010 até 2014 o PMDB perdeu duas cadeiras na Câmara Federal, contabilizando atualmente apenas três cadeiras, que são ocupadas pelos seguintes deputados: Manos Júnior, Hugo Mota e Nilda Gondim.

As baixas foram de Benjamim Maranhão, que trocou a legenda para assumir a direção do Solidariedadee também do deputado Wilson Filho, que deixou o PMDB para ingressar no PTB, legenda comandada pelo seu pai, Wilson Santiago.




Márcia Dias

PB Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

é um prazer em ter seu comentário em nosso blog