Total de visualizações de página

Horario de Brasilia

PITIMBU NOTÍCIA

quinta-feira, 27 de março de 2014

Popularidade do governo Dilma cai de 43% para 36%


Popularidade do governo Dilma cai de 43% para 36%
A popularidade do governo da presidente Dilma Rousseff caiu em março, em comparação com novembro de 2013, segundo pesquisa Ibope divulgada nesta quinta-feira (27) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). O percentual da população que avalia o governo Dilma como ótimo ou bom caiu de 43% para 36%.

Também conforme o levantamento, em relação à maneira de governar, o percentual de aprovação caiu de 56% para 51% no mesmo período.

O percentual de pessoas que confiam na presidenta também caiu de 52% para 48%, mas, segundo a entidade, essa diferença está no limite da margem de erro. Foram entrevistadas 2.002 pessoas em 141 municípios, de 14 a 17 de março.

A popularidade do governo caiu em todos os estratos da população avaliados, segundo a CNI. No entanto, a queda foi mais intensa entre os que moram em municípios com até 20 mil habitantes. Nessas cidades, o percentual dos que consideram o governo ótimo ou bom recuou de 59% para 44%.

A pesquisa, registrada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sob o número BR-00053/2014, apontou também que os brasileiros estão mais pessimistas em relação ao final da gestão de Dilma. O número de pessoas que esperam que o restante do governo seja ótimo ou bom caiu de 45% para 36%. E o percentual dos que acham que o final da gestão vai ser ruim ou péssimo aumentou de 21% para 28%.

A avaliação do governo Dilma Rousseff também piorou quando comparada à do governo Lula. O número de entrevistados que consideram o governo Dilma pior que o do seu antecessor subiu de 34% para 42%. Para 46% da população, as duas gestões são iguais.

Das nove áreas de atuação do governo avaliadas, a presidenta registrou queda na aprovação em todas. O descontentamento aumentou mais em relação às políticas econômicas.

O percentual da população que desaprova as ações do governo no combate à inflação aumentou de 63% para 71%. E o número dos que desaprovam as políticas de combate ao desemprego subiu de 49% para 57%.



Congresso em Foco

Nenhum comentário:

Postar um comentário

é um prazer em ter seu comentário em nosso blog