Total de visualizações de página

Horario de Brasilia

PITIMBU NOTÍCIA

domingo, 17 de agosto de 2014

Viúva vai priorizar filhos e não será candidata a vice, diz irmão de Eduardo Campos


Viúva vai priorizar filhos e não será candidata a vice, diz irmão de Eduardo Campos
 O irmão de Eduardo Campos, Antônio Campos, sugeriu na tarde deste domingo (17) que a família Arraes não vai deixar a política. Ele disse que torce para que seu sobrinho João --filho mais velho de Eduardo-- ingresse na política e assegurou que sua cunhada Renata não deve aceitar, neste momento, qualquer proposta para ser candidata.

"Isso não foi colocado agora. Renata está priorizando a criação dos filhos, mas ela é quadro político importante, fez política com Eduardo também, e foi uma valorosa companheira do meu irmão", disse.

Nessa segunda-feira (18), Renata deve se reunir com as principais lideranças partidárias que compõem a aliança da Frente Popular em Pernambuco para pedir comprometimento com os ideias do marido.

"Renata deverá dar um recado que o desejo de Eduardo é que a luta dele prossiga", explicou Antonio.

Antônio afirmou que não tem interesse em entrar na política e apontou o nome de João Campos com um bom sucessor da família.

"Não tenho pretensão de entrar na política de forma imediata. Estou torcendo para que meu sobrinho João e Renata tenham mais protagonismo. Terei minha colaboração. A família sempre participou com ele, como participou com o meu avô. O tempo vai conduzir", afirmou.

Para o irmão de Eduardo, a família terá de conviver para sempre com a dor da perda.

"Não vamos superar, vamos ter de conviver. O vazio é muito grande, não se supera. O que nos acalenta é que ele deixou muita coisa na vida das pessoas", disse o irmão de Campos. "A família unida saberá atravessar mais esse desafio. Nós temos uma história de muita luta. Nosso avô [Miguel Arraes] foi exilado, fomos perseguidos. Toda essa história faz lidar com esse momento".

Antônio voltou a defender o que chamou de legado de Eduardo.

"No momento em que o país está muito descrente com a política, ele acendeu o Brasil, disse que é preciso discutir, participar das eleições, criar uma proposta para o brasil. É preciso lutar contra a apatia, porque é possível fazer diferente. É possível desde de que os brasileiros se unam", afirmou.




UOL

Nenhum comentário:

Postar um comentário

é um prazer em ter seu comentário em nosso blog