Total de visualizações de página

Horario de Brasilia

PITIMBU NOTÍCIA

quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Abuso de poder: deputados evitam comentar investigação da Procuradoria Geral Eleitoral


 Abuso de poder: deputados evitam comentar investigação da Procuradoria Geral Eleitoral
“Não tenho nada a declarar sobre esse assunto”. Vamos consultar nossa assessoria jurídica para sabermos como nos comportar nesse caso”, foramas respostas dadas (respectivamente) pelo deputado estadual e candidato à reeleição, João Gonçalves (PSD) e pelo candidato a deputado estadual pelo PEN Toinho do Sopão, ao serem questionados sobre o ofício encaminhado pelo Procurador Regional Eleitoral da Paraíba, Rodolfo Alves, solicitando a deputados da Casa, informações sobre denúncias de troca de dinheiro e estrutura administrativa em favor do governador Ricardo Coutinho (PSB).


Na manhã desta quarta-feira, chegou à Assembléia Legislativa da Paraíba, ofício para apurar possível abuso de poder político pelo governador e saber se há mesmo troca de favores ou até pagamento monetário, para que os deputados votem nele para sua reeleição. Sobre isso, João Gonçalves desconversou e emitiu opinião sobre outro assunto.


“Se eu for notificado, questionado sobre esse caso, vou dizer que não tenho nada a declarar. O que eu vou declarar é pedir as autoridades, do governador ao vereador que trabalhemos para diminuir a violência na Paraíba. A violência só diminuirá com ações”, relatou João Gonçalves.


Já o deputado Toinho do Sopão, preferiu esperar os conselhos da assessoria jurídica de seu partido, se ausentando dessa forma, de qualquer declaração. “O problema é que ainda estamos resolvendo isso com a nossa assessoria jurídica para sabermos como nos comportar futuramente sobre esse assunto. Já dei algumas entrevistas sobre esse caso, mas agora vamos averiguar o caso com o jurídico para maiores declarações”, disse o deputado.


Pedido desembarcou hoje na ALPB


Desembarcou na Assembléia Legislativa da Paraíba nesta quarta-feira (24), um ofício encaminhado pelo Procurador Regional Eleitoral da Paraíba, Rodolfo Alves, solicitando a deputados da Casa, informações sobre a denúncias de troca de dinheiro e estrutura administrativa em favor do governador Ricardo Coutinho (PSB).


No início deste mês o deputado estadual Antônio Mineral, do PSDB, subiu à tribuna do parlamento e afirmou ter “negociado” o apoio na Casa para o governador Ricardo Coutinho (PSB), em troca da destinação de uma ambulância para sua região.


As denúncias do parlamentar no plenário da Casa foram uma resposta a um vídeo, divulgado na imprensa, em que o governador Ricardo Coutinho (PSB) aparece em um comício, realizado na cidade de Alhandra, afirmando que para ter o apoio de um deputado na Assembleia Legislativa da Paraíba teria que pagar cerca de R$ 300 mil de gratificação.


À época, o procurador solicitou o vídeo da sessão em que o deputado tucano afirmava ter negociado o apoio em troca de estrutura administrativa.


“Solicitei da Assembleia o vídeo contendo a sessão, na Casa, para poder avaliar na íntegra o conteúdo, as afirmações que foram proferidas pelos deputados citados no questionamento, para a partir daí, definir sobre a conotação eleitoral da conduta , fato que será comunicado caso haja a instauração de procedimento sobre o assunto”, frisou o procurador.


Entenda


O deputado federal Antônio Mineral, do PSDB, que virou notícia no início do mês por abandonar o projeto de reeleição do governador Ricardo Coutinho (PSB) para apoiar a candidatura do senador Cássio Cunha Lima (PSDB) ao Governo da Paraíba reagiu às insinuações de que teria “negociado” o apoio em troca de dinheiro e soltou o verbo contra o grupo socialista, durante sessão na Assembleia Legislativa da Paraíba.


Mineral disse que chegou a negociar sim, mas foi com o governador Ricardo Coutinho (PSB) para poder ter, por exemplo, uma ambulância destinada à região em que atua.


“Realizei negociatas várias vezes com Ricardo. Negocie minha licença por uma ambulância para um município de minha base política”, disse.


A reação do tucano aconteceu logo depois da repercussão de um vídeo em um comício, em que o governador Ricardo Coutinho diz que se quisesse, teria a maioria dos apoios na Assembléia Legislativa da Paraíba, ao preço de uma gratificação de R$ 300 mil.


“Se eu quisesse, eu colocaria uma ruma de deputados ali e garantia maioria na Assembleia, que hoje eu não tenho, com as mesmas práticas que os outros tinham de maioria. Mas, eu não vou pegar dinheiro do povo, pegar o dinheiro de vocês, das mães de família, pegar R$ 300 mil e dar de gratificação para um deputado ser de minha base.”, disse Ricardo durante comício.


O deputado tucano disse ainda que os asfaltos que conseguiu para os municípios onde tem bases políticas só foram possíveis devido ao comprometimento de votar a favor do pedido de empréstimo para o Estado, do qual ele foi relator.


“Você só consegue alguma coisa de Ricardo Coutinho se ele precisar de você, Eu mesmo negocie várias vezes com o governador. Quem quer ser só bonzinho vai responder pelo que está sendo apurado, pois tudo chega ao conhecimento do povo”, falou.


O tucano foi mais além e chegou a dizer que o governador negociou a vaga de vice em sua chapa, oferecendo dinheiro para que algum deputado fosse seu companheiro de chapa, mas ninguém aceitou porque, conforme Mineral, o dinheiro do governador “tem mofo e é podre, ninguém quer”.


Devido às declarações do governador, a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa decidiu acionar o governador e candidato à reeleição, Ricardo Coutinho (PSB), na Justiça, para que ele se retrate da declaração, dada durante um comício em Alhandra, há poucos dias, quando afirmou que para ter o apoio de deputados da Casa, bastaria dar R$ 300 mil de gratificação para cada um deles.


REAÇÃO


Enquanto Mineral condenava às declarações do governador, o deputado estadual Tião Gomes, do PSL, cuidou de sair em defesa de Ricardo Coutinho e disse que se o chefe do executivo quisesse, realmente teria a maioria dos deputados na Casa.


Tião lembrou que o governador nunca quis se curvar ao que os deputados queriam. “Ricardo não trabalha com negociata. Porque o governo dele é diferente. Ricardo tem é razão quando falou de alguns deputados na Assembleia Legislativa””, ressaltou.


Para o deputado, que integra a base do Governo, essa é a campanha dos grandes contra os que querem mudar o Estado.



Com informações de Henrique Lima

PB Agora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

é um prazer em ter seu comentário em nosso blog