Total de visualizações de página

Horario de Brasilia

PITIMBU NOTÍCIA

terça-feira, 26 de maio de 2015

EXCLUSIVO: PBAgora obtém fotos que retratam drama da seca em volta do Açude de Boqueirão

Principal reservatório responsável pelo abastecimento de Campina Grande e mais 19 municípios do Compartimento da Borborema, o açude Epitácio Pessoa em Boqueirão, continua agonizando.


O açude, construído pelo Departamento Nacional de Obras Contra Seca (Dnocs), há mais de 50 anos, atravessa uma das piores secas de sua história, e segundo a Agência Estadual de Gestão das Águas (Aesa), está perdendo 1 centímetro de sua lâmina de água por dia. Em dias quentes, ele chega a perder até 2 centímetro de água, devido a evaporação e o consumo.


O PBAgora obteve fotos exclusivas que retratam a atual realidade do açude. As fotos tiradas pelo estudante de Comunicação Social da UEPB Allan Gomes, e pelo estudante Alisson Gomes Callado, impressionam. Quem já viu Boqueirão sangrar se emociona ao ver o reservatório agonizando.


O relato de alguns moradores que moram nas proximidades do reservatório comprova a gravidade. Boqueirão está secando a cada dia o risco de colapso no sistema de abastecimento aumenta.


A água que antes ocupava toda uma área que mais parecia um “mar” no Cariri paraibano, recuou significativamente, dando lugar a terra seca. A vegetação seca,  os peixes mortos nas margens do açude e os barcos dos pescadores abandonados, também atestam o drama causado por uma das mais rigorosas estiagens dos últimos 30 anos.


O agricultor José da Silva de 65 anos, já assistiu muitas secas, mas segundo ele, poucas foram tão cruéis como a que agora assola a região. Ele olha para o açude com um indisfarçável sentimento de tristeza. A imagem remonta um cenário das grandes secas que castigaram o nordestino.

“É triste ver Boqueirão chegar a essa situação. Mais acreditamos que em breve esse açude voltará a receber água” disse. Ele também já testemunhou Boqueirão sangrando várias vezes.

Apesar da redução drástica do volume de água, muitos produtores ainda insistem em desobedecer a determinação da Justiça e continuam retirando a água de forma irregular para irrigação. As bombas usadas para a irrigação continuam espalhadas por toda a parte.

O comerciante José Airton Calado, mora em Campina Grande e no último final de semana visitou Boqueirão para comprovar se realmente o alerta feito pelo Ministério Público, Aesa e Cagepa retratavam a realidade. Ficou perplexo com o que viu. Boqueirão segundo ele, está secando.

“A situação é preocupante. Poucas vezes eu vi esse açude baixar tanto o seu volume de água” lamentou.


De acordo com a Agência Estadual de Gestão das Águas Boqueirão amanheceu nesta terça-feira com 77.402.634 milhões de metros cúbicos de água, o que representa 18,8% de sua total capacidade de armazenamento que é de 411.686.287 mm. Em maio de 2014 ele estava com 246.815 milhões de metros cúbicos de água.

O manancial é a principal fonte de abastecimento de 1 milhão de paraibanos, que já sofrem com o racionamento de água decretado pela Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa). Por conta da diminuição do volume de água, a Cagepa resolveu recentemente, ampliar o racionamento.


De acordo com o gerente de Monitoramento e Hidrometria da Aesa, Alexandre Magno, a última vez que o Boqueirão registrou seu menor nível, foi em 1999, quando o Estado vivenciou uma de suas maiores secas e o manancial chegou aos 14% de capacidade. Na época, Campina Grande e outros 19 municípios abastecidos pelo reservatório também tiveram que enfrentar racionamento.


O meteorologista lembrou no entanto, que bastaram duas chuvas fortes nas cabeceiras dos rios Paraíba e Taperoá para Boqueirão receber mais de 10 milhões de metros cúbicos de água. No ano seguinte, o açude atingiu a sua capacidade máxima e transbordou. Chegou a sangrar dois anos seguidos.

 





Severino Lopes

PBAgora

Nenhum comentário:

Postar um comentário

é um prazer em ter seu comentário em nosso blog